Deputados aprovam mudanças nos critérios de promoção de oficiais da BM

40

Revoltada, oposição se retirou do plenário, porém governo obteve quórum e garantiu vitória 

Com 28 votos a zero — a oposição se retirou do plenário —, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou no final da tarde desta terça-feira o projeto elaborado pelo Executivo que modifica os critérios de promoção para oficiais da Brigada Militar. Em meio a protesto de policiais, que lotaram as galerias da Casa, a proposta foi discutida por cerca de três horas.

Unânime, a decisão foi tomada por cinco desembargadores: Cláudio Baldino Maciel, André Luiz Planella Villarinho, Liselena Schifino Robles Ribeiro, Marcelo Bandeira Pereira, que presidiu a sessão do Conselho da Magistratura, e Guinther Spode. Eles tomaram uma medida administrativa, sem necessidade de apreciação pela Justiça. Em tese, ela ainda pode ser revista, mas o TJ vai acatar o que decidiu o Conselho

Na sessão, iniciada por volta das 15h15min, praticamente apenas parlamentares da oposição se manifestaram na Tribuna. Além de criticarem o projeto, eles questionam o regime de urgência do Piratini para a apreciação do projeto.

O deputado Raul Pont (PT) foi um dos únicos da base do governo a defender as mudanças nos critérios — veja aqui a modificação. Ao tentar falar, ele foi vaiado por oficiais da BM presentes na Assembleia.

Por volta das 18h20min, o deputado Ernani Polo anunciou a saída da oposição do plenário. Mesmo assim, ainda havia quórum para a votação — 28 deputados governistas presentes, que aprovaram o projeto.

Em protesto, os oficiais nas galerias ficaram de costas para os parlamentares. Eles carregavam cartazes pedindo o adiamento da votação.

Na semana passada, o governo já havia tentado apreciar a proposta. No entanto,deputados esvaziaram o plenário _ inclusive governistas _, e a votação acabou adiada para esta terça-feira.

 

ZERO HORA