Caso do tatu-bola: Soldado ferido durante protesto apresenta doença neurológica

149

Brigadiano envolvido em conflito no Largo Glênio Peres está internado desde 18 de dezembro

Um soldado da Brigada Militar envolvido em um conflito no Largo Glênio Peres, em outubro do ano passado, teve traumatismo craniano devido a uma pedrada na cabeça.PM Eriston leva pedrada

A isso se seguiu uma doença neurológica grave que, segundo médicos, não tem relação com o incidente – mas manteve o policial hospitalizado.

Internado na Capital em 18 de dezembro, Eriston Mateus de Moura Santos, 25 anos, teve melhora em um quadro de saúde complicado.

Apesar de ainda não haver confirmação por exames, a suspeita é de que ele tenha uma rara doença neurológica, a Encefalite Anti-receptores de NMDA (confira quadro). Santos ficou com a fala comprometida.

– Não há registro na literatura médica que relacione traumatismo craniano à doença. O tratamento dispensado ao paciente na época foi bastante adequado, mas depois ele desenvolveu essa doença muito rápido. Estamos tratando, mas é um processo longo e delicado – explica o neurologista Ricardo Santin, que cuidou de Santos no Hospital Ernesto Dornelles, na Capital.

– Além de ser uma doença muito rara, as principais causas são infecção e tumores paraneuplásicos – esclarece o neurologista Luis Marrone, do Hospital São Lucas e do Instituto do Cérebro da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Santos passou por cinco especialistas e dois hospitais

O diagnóstico afasta uma indagação do pai do soldado, Ari Luz dos Santos, 48 anos: de que a pedrada tenha relação com a doença. O filho foi ferido na manifestação de outubro, quando houve pancadaria perto de um mascote do Tatu-Bola, relativo à Copa de 2014. Acabou atingido por um paralelepípedo que danificou o capacete de proteção. Atendido e liberado, Santos ficou afastado do trabalho por 15 dias. Entre 27 de novembro e 18 de dezembro, passou por dois hospitais e cinco especialistas, sem ter doença diagnosticada.

De acordo com Santin, o soldado já havia apresentado sintomas da Encefalite Anti-receptores de NMDA em 2011, mas a resolução da doença, à época, se deu de forma espontânea.

Em janeiro, foi enviada uma amostra de liquor do paciente (líquido localizado entre o cérebro e as meninges) para testes de anti-corpos, nos Estados Unidos. A resposta deve chegar até sexta-feira e, segundo Santin, confirmar a suspeita da doença. No dia 4, mesmo sem falar e caminhar, Santos recebeu alta do hospital. Deve retornar no dia 25 para continuar o tratamento.

O que é Encefalite Anti-NMDA

— É uma doença que atinge todo o encéfalo produzindo anti-corpos contra o próprio cérebro.

— Inicia-se com sintomas psíquicos vagos mas evolui rapidamente para crises convulsivas e comprometimento da fala (mutismo). Esta encefalite é um processo inflamatório que ocorre nos receptores decorrente da ação de anti-corpos. A ação dos anti-corpos interrompe a sinapse, que é a transmissão de impulsos nervosos entre os neurônios

Sintomas

— Crises convulsivas

— Movimentos involuntários (distonia e discinesia orofacial)

— Alterações da fala

— Disautonomias (o hipotálamo é afetado e o paciente passa a ter febre persistente, taquicardia, oscilação da pressão arterial ou sudorese)

Primeiros casos

— Foram relatados em 2005, mas a doença foi descoberta em 2007.

— A enfermidade atinge, principalmente, mulheres. Os anti-corpos produzidos para atacar tumores ovarianos atingem o cérebro.

Tratamento

— A imunossupressão é realizada por meio de medicamentos que provocam acentuada redução da imunidade do paciente. O doente fica bastante suscetível a infecções.

Fonte: ZERO HORA

Postado por Comunicação DEE ASSTBM