Bombeiros- Muita coragem e pouco equipamento

64

Sem uma escada Magirus que permitisse uma visualização e atuação de cima, os bombeiros contavam, em torno de 21h45min, com uma escada que lhes permitiu chegar ao segundo piso. Tudo teria sido mais fácil, caso a mangueira não estivesse furada. O fato chamou a atenção do público, que não poupou críticas.

“Os bombeiros estão bem dispostos, a gente vê, mas a estrutura deles é uma vergonha”, afirmou chorando um permissionário que tinha esperanças de entrar no local para ver sua loja, mas viu que seria impossível.

Embora o início do incêndio tenha s i d o r egistrado às 20h30min, o equipamento só chegou ao local às 22h.

Na avaliação do secretário Airton Michels, o governo do Estado considera o efetivo adequado, tanto na Capital como no Interior.

“Não falta efetivo”, afirmou o secretário de forma enfática.

“As divisões da Brigada Militar têm plena capacidade de atender às demandas de segurança, inclusive o Corpo de Bombeiros, que teve mais de 70 homens nesta ação”, defendeu. Michels também lamentou as perdas ocasionadas pelo incêndio e avaliou que o início do atendimento, efetuado pela corporação em quatro minutos após o primeiro chamado ao telefone 193, está de acordo com as normas estabelecidas para emergências dessa natureza.

Junto com Fortunati, ele lamentou a destruição ocorrida no prédio histórico. A expectativa, na noite de sábado, era de que 30% do prédio teria sofrido danos.

Fortunati, que chegou ao local poucos minutos após o começo do sinistro, disse que sentia “uma dor no coração” ao ver o prédio pegando fogo. “Não pensei em presenciar isso”, falou.

 Fonte: Correio do Povo

Postado por Comunicação DEE ASSTBMbombeiro no merc publ