Desvinculação está ganhando força

94

A desvinculação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar ganhou uma grande força no final do mês de maio passado. Em uma reunião do Conselho Superior da Brigada Militar, em Santana do Livramento, 27 dos 28 integrantes do Conselho votaram a favor da separação dos bombeiros da Brigada. A decisão foi levada ao governador Tarso Genro, ainda em julho, pelo comandante-geral da BM, coronel Fábio Fernandes. “Agora depende de uma decisão política”, acentuou o comandante dos bombeiros no Estado, coronel Guido Pedroso de Mello.

O governador terá que enviar à Assembleia um projeto para ser votada a desvinculação”, explicou Mello. O coordenador-geral da Associação dos Bombeiros do Estado do Rio Grande do Sul (Abergs), Ubirajara Ramos, considera uma solução bem-vinda. Segundo ele, a separação permitiria aos bombeiros terem mais recursos, uma vez que, atualmente,

pouca coisa é destinada à corporação. “Também teríamos uma formação voltada especificamente aos bombeiros”, comemorou. “Além disso, os concursos seriam dirigidos a quem pretendesse seguir a carreira de bombeiro”, analisou Ramos.

A desvinculação não é aceita apenas pelos integrantes do Conselho Superior da Brigada Militar — que demoraram décadas para se posicionar a favor — e integrantes do Corpo de Bombeiros. O desmembramento é salutar também para a população. Há dois anos, a Abergs lançou uma campanha nas ruas da Capital, além de promover encontros no interior do Estado, mostrando as vantagens da separação das duas corporações. O público apoiou. Atualmente, pelas redes sociais, posts se mostram favoráveis à desvinculação. Uma das razões para este apoio é a visão da população de que os bombeiros não são policiais.

Fonte Correio do Povo

Postado por Comunicação DEE ASSTBMbombeiro