Após reunião, governador afirma que PMs vão retomar atividades hoje à tarde

51

98498_460x270_0589794001398699631Manifestação de policiais começou na noite de domingo e causou paralisação parcial da tropa. José Melo afirmou que quer atender reivindicações.

[ i ]

Manaus – A partir da tarde de hoje, os policiais militares queparalisaram suas atividades na noite de ontem voltam ao trabalho em Manaus e nos municípios do Estado. A afirmação foi divulgada pelo governador José Melo, após uma reunião da cúpula da Segurança Pública com representantes do movimento da Polícia Militar, na sede do Governo.

“Eles me garantiram que será tudo normalizado após o formato que eu propus, o diálogo. Nenhum deles negou as conquistas que o Estado teve, mas nós temos que rever a questão das promoções dentro do que a lei permite”, disse Melo, durante coletiva de imprensa
Pouco depois do meio-dia, os representes do movimento da PM foram à Arena Amadeu Teixeira, onde iniciou a concentração, e comunicaram a todos os presentes do acordo. Pouco antes de 13h, já não havia mais manifestações no local.
De acordo com o governador, haveria contingente de policiais necessário para garantir a segurança da população, mas que ele preferiu o diálogo para evitar problemas maiores. “Eu não ia colocar policial contra policial. Isso seria muito ruim, e foi aí que descobri coisas que precisavam ser corrigidas”, afirmou o governador, ressaltando, que se fosse preciso, poderia utilizar os alunos-soldados da Polícia Militar nas ruas. “Eles estão há poucos dias da formatura e estão aptos para serem utilizados em questão de emergência”.
Participaram do encontro dois integrantes da Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam), um do Comando de Policiamento Especializado (CPE), um de Interior (CPI), um da Companhia Interativa Comunitária (Cicom), além do secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP), coronel Roberto Vital, o comandante geral da Polícia Militar do Amazonas, coronel Almir David Barbosa, secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado do Amazonas, coronel Louismar Bonates e titular da Casa Civil, Raul Zaidan.
Após a primeira reunião, Zaidan e os representantes dos policiais se reuniram para selar o acordo entre Estado e manifestantes. Na ata da reunião, o Estado se compromete a implementar uma nova Lei de Carreira dentro de até 60 dias. O mesmo prazo vale para a implantação do Código de Ética dos policiais. Já em 45 dias, a ata da reunião diz que o Estado vai implementar o Auxílio Alimentação e a Escala de Serviços 2×2 Auxílio Moradia. Em 30 dias, o Estado se compromete a efetivar a regulamentação da Gratificação de Trabalho Extra (GTE), criando parâmetros e critérios para sua implementação.
A ata da reunião afirma, ainda, que o movimento não foi considerado uma greve, apenas uma manifestação da tropa, e por isso não haverá punião aos policiais envolvidos.
Segundo Melo, a comissão que se reuniu com as autoridades do Estado vai repassar todas as reivindicações da categoria, mas a prioridade é melhorar a escala de promoção dos praças. “Determinei que devemos solucionar isso, construir uma lei para que o Estado possa suportar, com equilíbrio econômico, essa situação”, disse ele, que descarta qualquer motivação ligada à Copa do Mundo para a mobilização dos policiais. “A motivação deles é dar solução aquilo que está errado”.
O governador descartou, ainda, qualquer mudança na cúpula da segurança pública no Amazonas.