TJ oficializa que Estado tinha quase R$ 1,4 mil para pagar a cada servidor em 31 de agosto

53

thumb15Primeira parcela ficou em R$ 600. ‘Talvez esconder esse dinheiro (do Caixa Único) nos depósitos judiciais tenha sido um meio de proteção’, avaliou o presidente do Tribunal

A bancada do PT na Assembleia Legislativa confirmou, com dados do Tribunal de Justiça, o que já havia denunciado: em 31 de agosto, o Estado tinha R$ 270 milhões em caixa, quantia suficiente para pagar uma parcela superior a R$ 600 para todo o funcionalismo, de até R$ 1,378 mil por servidor. Outra alternativa também era viável com esses recursos: o pagamento mensal da dívida com a União, a fim de evitar o bloqueio das contas públicas, o que voltou a ocorrer em setembro.

O líder petista, Luiz Fernando Mainardi, reiterou que faltou comprometimento do governo com os servidores do Executivo. “Nós já sabíamos desse fato e o que veio agora foi a confirmação oficial por parte do Tribunal de Justiça, inclusive, com números. É a política do quanto pior, melhor e os servidores são sacrificados para a venda de uma crise à sociedade que torna o cenário favorável ao aumento de impostos”, analisou.

O alerta da oposição é de que o governo traçou um caminho inverso ao tradicional para omitir essa quantia. Os R$ 270 milhões foram supostamente transferidos do Caixa Único para a conta dos depósitos judiciais. O presidente do Tribunal de Justiça, ao participar do programa Esfera Pública, comentou com cautela essa informação. “Eu não quero fazer juízo de valor, mas o que se sabe é de que o governo vivia a iminência do bloqueio das contas. Talvez esconder esse dinheiro nos depósitos judiciais tenha sido um meio de proteção”, avaliou.

Os documentos provenientes do Tribunal de Justiça e entregues a deputados do PT vão ser apresentados para os demais partidos da oposição, na próxima segunda-feira. A intenção é apurar se houve crime de responsabilidade e levar o fato ao conhecimento de autoridades competentes, como Tribunal de Contas do Estado e Ministério Público de Contas, além do Ministério Público Estadual.

Fonte:Voltaire Porto/Rádio Guaíba