Aumento de efetivo da polícia depende do equilíbrio fiscal

62
Wendt quer contratar concursados, mas depende de equilíbrio fiscal do governo | Foto: Alina Souza
Wendt quer contratar concursados, mas depende de equilíbrio fiscal do governo | Foto: Alina Souza

Wendt quer contratar concursados, mas depende de equilíbrio fiscal do governo

Comandante da Polícia Civil classificou tráfico de drogas como carro-chefe de outros crimes

*Com informações da repórter Karina Reif

O novo comandante da Polícia Civil, Emerson Wendt, concedeu entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira e garantiu que tem interesse na convocação de aprovados em concursos. No entanto, ele e o secretário de segurança, Wantuir Jacini, deixaram claro que o aumento do efetivo depende do equilíbrio fiscal do governo e não tem data para ocorrer. A ideia da Polícia Civil é fazer mais com menos.

“Eu convidado nessa quarta-feira à tarde e consegui conversar com apenas dois colegas. Tudo aqui será feito a seu tempo. Queremos estabelecer contatos para ver o que é necessário. A nossa prerrogativa é fazer um bom trabalho na investigação criminal”, explicou.

Tanto Wendt quanto Jacini insistiram na ideia do combate ao tráfico de drogas. Na avaliação do novo comando da Polícia Civil, o comércio de entorpcentes é o carro-chefe para a realização de outros crimes. Jacini chegou a afirmar que pedirá uma audiência com o Tribunal de Justiça para tentar resolver o “prende e solta”.

Emerson Wendt comentou ainda que vai trabalhar muito com inteligência e estratégia para conter a escalada de violência. Algumas táticas, porém, não serão divulgadas para não prejudicar o andamento do trabalho.

Correio do Povo