Rádio Guaíba: Apesar do alto número de roubos e furtos, criminalidade diminui no RS no início deste ano

16

Em todo o RS, quase 33 mil casos de furtos e roubos foram registrados no primeiro bimestre contra 40 mil no mesmo período de 2017

O crime de latrocínio caiu 63,9% no Rio Grande do Sul no primeiro bimestre de 2018, se comparado ao mesmo período do ano anterior. Em janeiro e fevereiro deste ano foram registrados 13 roubos seguidos de morte no Estado – 23 a menos que em janeiro e fevereiro de 2017. Os indicadores de criminalidade do Estado foram divulgados na manhã desta segunda-feira pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).

A lista de 16 indicadores é composta por crimes que, de acordo com a SSP, representam maior potencial ofensivo contra a vida e patrimônio. O próprio secretário Cezar Schirmer avaliou que os números absolutos ainda são altos. Em todo o RS, quase 33 mil casos de furtos e roubos foram registrados em janeiro e fevereiro deste ano, contra 40 mil no mesmo período do ano passado. Para Schirmer, apesar do grande número de casos, o mais importante é a diminuição das ações criminosas.

“Todos os indicadores reduziram e isso dá a dimensão de que estamos no rumo certo, embora os números absolutos ainda sejam elevados. É importante que se diga que não há milagre nem mágica na Segurança Pública. Isso é um processo longo de décadas de omissão e descaso em relação a esse assunto”, avaliou o secretário.

Entre as causas apontadas por Schirmer para a diminuição da violência no Estado estão o aumento do efetivo da Brigada Militar e da Polícia Civil, a transferência de presos de alta periculosidade para presídios federais, a integração com os municípios, o uso de câmeras de vídeo monitoramento e a compra de veículos e armas para as polícias.

Questionado sobre os ataques a agências bancárias que se tornaram frequentes nas últimas duas semanas no Estado, o secretário disse que os dados mostram que o número diminuiu na comparação com o ano passado. Entre roubos e furtos a bancos, nos primeiros dois meses de 2018 foram 27 ataques, contra 41 no ano passado. Para Schirmer, os números devem diminuir ainda mais se as agências cumprirem a legislação.

“Há uma legislação estadual que obriga os bancos a apresentarem um plano de segurança das suas instalações num prazo de seis meses. E isso vai permitir que se reduza ainda mais o crime consumado. Por exemplo, a fumaça densa que pode ser liberada por um sistema que dura 20 minutos e que em 15 segundos diminui bastante a visibilidade dos bandidos é um inibidor dos assaltos a bancos”, afirmou.

Furto e roubo de veículos ainda é alto

Apesar do número de furto e roubo de veículos ter caído 12,16% em janeiro e fevereiro de 2018, se comparado ao mesmo período do ano anterior, em média, 33 carros são levados por dia em Porto Alegre. Neste ano, 2 mil veículos já foram furtados ou roubados na Capital gaúcha – o que representa 36% do total de automóveis levados em todo o Estado (5.441). Nos dois primeiros meses de 2017, o número de veículos furtados chegou a 2.277.

A SSP analisou 16 indicadores criminais e comparou os dados deste ano ao primeiro bimestre de 2017. Confira os dados referentes a casos registrados em todo o Estado:

Homicídio doloso: -34,5%

Latrocínio: -63,9%

Furtos: -16%

Abigeato: -30,8%

Furto de veículo: -16,2%

Roubos: -22,5%

Roubo de veículos: -11,9%

Furto de banco: -29,6%

Roubo de bancos: -42,9%

Furto de comércio: -26,7%

Roubo de comércio: -38,5%

Roubo de usuários de transporte coletivo: -60,7%

Roubo de profissionais de transporte coletivo: -32,9%

Ameaça contra mulheres: -9,7%

Lesão corporal contra mulheres: -7,9%

Estupro de mulheres: -16,3%

Fonte:Carlos Machado/Rádio Guaíba