A velha prática de buscar palanque político atacando a Brigada Militar

12

No dia 27 de junho o Deputado Estadual Jéferson Fernandes (PT) presidente da Comissão de Direitos Humanos da

Assembleia Legislativa gaúcha ouvindo supostas reclamações de moradores de um condomínio localizado em Porto Alegre, contra integrantes da Brigada Militar, mais uma vez, de forma OPORTUNISTA, resolveu solicitar SEVERAS PROVIDÊNCIAS ao Comando da BM e a Justiça Militar, “é preciso cessar este tipo de ação que não respeita a lei”, manifestou-se o Parlamentar.

A ASSTBM indignada com a posição do Deputado Jeferson Fernandes, que não levou em conta a presunção da inocência, e nem deu direito de defesa e contraditório aos homens e mulheres da nossa Brigada Militar, tratando de denunciá-los diretamente na Justiça Militar. Como entidade que SEMPRE se posiciona ao lado dos Brigadianos, buscaremos a reparação pela manifestação feita pelo Deputado.

Devemos levar em conta que no local defendido pelo parlamentar, já ocorreram inúmeros confrontos contra servidores da Brigada Militar, inclusive com policiais feridos por disparos. Vejam algumas matérias jornalísticas sobre a incidência de violência no local:

ZH DE 09/05/2015– Condomínio Princesa Isabel é fortaleza para o tráfico em Porto Alegre
Organização criminosa que se estabeleceu, segundo a polícia, é mais antiga do que a própria construção do conjunto habitacional.

ZH DE 07/06/2017 – Polícia cerca condomínio Princesa Isabel em ação para combater o tráfico de drogas e mapear imóveis.

RADIO NOVA PROGRESSO DE 11/03/2016 – Suspeitos de gerenciarem o tráfico de drogas em condomínio são presos na Capital

G1 DE 07/06/2017 – São cumpridos 46 mandados de busca e apreensão no Condomínio Princesa Isabel, em Porto Alegre.

CORREIO DO POVO 07/03/2018 – Viatura da BM é atingida por disparos em frente ao condomínio Princesa Isabel, em Porto Alegre

A ASSTBM não aceita que servidores da corporação sejam utilizados como massa de manobra política e eleitoreira, transformando-os em alvos públicos para possíveis interesses que não sejam o de dar segurança à pessoas de bem, seja de qualquer cor, credo, classe social ou opção sexual.

“PELA PODER DA VONTADE E NÃO PELA VONTADE DO PODER”