Piratini vai anunciar plano de quitação de salários nos próximos dois dias, diz secretário da Fazenda

1063

Marco Aurelio Cardoso falou ao Gaúcha Atualidade sobre as primeiras medidas do governo de Eduardo Leite para enfrentar a crise financeira do Estado

GAÚCHAZH

Após dizer que estudava mudanças na forma de pagamento dos servidores do Executivo – que sofrem com parcelamentos de salário desde 2016 –, o secretário da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso, confirmou nesta sexta-feira (4) que um novo plano de quitação deve ser anunciado em breve.

— Já sentamos com o Tesouro, nos últimos dias, e acredito que anunciemos o plano de quitação nos próximos dois dias — revelou, em entrevista ao Gaúcha Atualidade.

O secretário quer mudar a forma de pagamento do funcionalismo para estabelecer uma data fixa para quitar os contracheques, ainda que com atraso. O calendário traria previsibilidade aos servidores.

Cardoso também comentou as primeiras medidas anunciadas pelo governo de Eduardo Leite para enfrentar a crise financeira no Estado. Na quarta-feira, o governador assinou seis decretos com ações emergenciais na área das finanças públicas – cindo deles envolvendo despesas e um tratando das receitas.   

— De emergência, o que nós fizemos foi a publicação de uma série de decretos que o governador assinou no primeiro dia útil de exercício de cargo. É um certo freio de arrumação, um levantamento inicial, seja de pessoal ou de custeio — afirmou o economista.

— (Os decretos) Não são de forma alguma a solução estruturante que vamos dar para as finanças, mas são um corte inicial que permite que os titulares dos órgãos que assumiram essa semana revejam suas despesas, seus contratos. É uma questão que se alinha tanto à parte fiscal quanto à organizacional — explicou.

Na quarta-feira (2), os servidores do Poder Executivo com rendimento líquido entre R$ 2 mil e R$ 3 mil tiveram os salários atrasados de dezembro quitados. Com esse repasse, cerca de 207 mil matrículas tiveram os vencimentos pagos, o que representa 60% do total.

Ouça a entrevista completa: