Dia histórico da maior mobilização em defesa dos direitos dos militares estaduais

2281

Em ato convocado pelas entidades que formam o Fórum de Entidades de Classe os Militares Estaduais ( ABAMF, ASSTBM, ASOFBM, ABERGS, AOFERGS e ASPPOM) mais de 10 mil militares saíram em caminhada de local próximo ao Quartel General da Brigada Militar até a Praça da Matriz, centro de Porto Alegre. Ao final da caminhada ocorreu um grande ato em repúdio as propostas de mudanças na carreira e salários, encaminhadas pelo governo do estado, propostas estas que impõem redução de salário, aumento de desconto de previdência, em desacordo com legislação federal, além de outras mudanças na carreira que trarão prejuízos a categoria.

Para o Presidente da ASSTBM, Aparício Santellano, foi um ato histórico, que demostra ao parlamento gaúcho e ao governo, que os militares estão unidos e não irão aceitar as propostas da forma como foram apresentadas.

Para o Presidente da ABAMF, José Clemente, a grandiosa manifestação realizada neste dia mostra que a categoria está unida, e sabe da sua importância para a sociedade gaúcha, isso ficou claro para todos, principalmente ao governo e aos deputados gaúchos. Estamos prontos para lutar por nossos direitos básicos, direitos mínimos necessários a uma categoria que trabalha com risco da própria vida.  

PRÓXIMOS PASSOS:

O Fórum das entidades fará corpo a corpo com os deputados na Assembleia Legislativa, na luta para modificações no projeto, tendo em vista que com o governo as negociações não obtiveram avanços. O movimento não descarta ações mais incisivas, caso persista as propostas da forma que foram apresentadas, ficando deliberado que será adotada operação-padrão a partir do dia 16 no Estado. Isso significa que policiais militares e bombeiros não sairão dos batalhões usando munições e coletes vencidos nem em viaturas com pneus carecas.

As entidades que representam os servidores também convocaram familiares dos militares para impedirem a saída dos policiais de dentro dos quartéis a partir do dia 17.