Nasce o movimento anti-policial no RS

27300

Como se não bastasse todas as amarguras do combate à violência , que em 2023 levou 352 PMs a serem feridos em serviço,  agora está nasce o movimento anti-policial. Este movimento político que busca desqualificar a atividade policial, levando a ideia à sociedade de que os servidores da segurança pública são racistas, machistas e violadores das leis. Tentam criar a narrativa de  que policial é um ser sem sentimentos, despreparado, sem família.  Alguns parlamentares e seus respectivos projetos políticos,  propõem fiscalizar a atividade policial, mas não aceitam controle dentro do sistema prisional, querem supostamente diminuir a letalidade policial, mas não projetam nada contra os homicídios cometidos contra moradores das periferias, homens e mulheres a maioria pobres e vítimas do tráfico que impera nestes locais.

A ASSTBM lamenta este movimento anti-policial  que ecoa no Parlamento Gaúcho,  o mesmo grupo que condenou os PMs por um suposto racismo que não aconteceu, agora propõem que a Ouvidoria da Segurança Pública seja feita por uma lista tríplice vindas dos chamados movimentos de direitos humanos, que no Brasil distorce a Declaração Universal dos Direitos Humanos, onde só os direitos do agressor importa, das vítimas não.  Com isso fica clara intenção de amarrar a atividade policial e liberar a bagunça e a insegurança na sociedade.

Somos uma entidade apartidária, de luta pela Justiça social, pelo desenvolvimento econômico e pela inclusão dos policiais nas estruturas decisórias, por isso, somos contra o Movimento Anti-policial.

CONFIRA A PROPOSTA DO DEP MATHEUS GOMES

https://www.instagram.com/reel/C4Vh5QLOSRN/?igsh=MW81d3I2N3JuaDQ4ag%3D%3D